em Portugal. Por sua vez, o presidente do IPDAL destacou
o elevado interesse demonstrado pelas embaixadas na
participação no evento e destacou as sinergias que podem
resultar de um encontro desta natureza.
Intervindo tambémna abertura do evento, o presidente do
Infarmed,
E
urico Castro Alves, realçou o dinamismo e a ca­
pacidade exportadora das empresas portuguesas ligadas
ao sector farmacêutico e à Saúde, em geral, bem como
a disponibilidade da autoridade reguladora para cooperar
com as empresas nacionais nos seus processos de inter­
nacionalização na área do medicamento e dos produtos
de saúde. O Fórum contou ainda com a participação de
um representante da Caixa Geral de Depósitos, instituição
que tem apostado fortemente em parcerias com empre­
sas que se dedicam à exportação de bens e serviços.
Na primeira parte do Fórum, os representantes das 14
empresas presentes fizeram as sua apresentações, des­
dades do Governo de Portugal: a América Latina e a In­
dústria Farmacêutica”. A participação deste responsável
serviu também para evidenciar o apoio desta entidade à
internacionalização das empresas nacionais em merca­
dos estratégicos, como é o caso da América Latina.
O Fórum contou ainda com a participação do vice­
‑presidente da OF e com os presidentes dos Conselhos
dos Colégios de Especialidade de Indústria Farmacêutica,
Nuno Moreira, e de Assuntos Regulamentares, Antonieta
Lucas, que assistiram ao evento.
Com esta actividade, realizada à porta fechada, a OF e
o IPDAL deram início a um conjunto de iniciativas para
promover negócios nos mercados dos países da América
Latina, através da criação de uma plataforma de encontro
e interacção dos representantes das empresas portugue­
sas e dos embaixadores dos países da América Latina em
Lisboa. No rescaldo deste encontro, a OF e o IPAL anali­
O Fórum assumiu-se como uma plataforma de encontro e interacção entre os participantes
saram a possibilidade de organização de missões empre­
sariais e de prospecção em alguns dos mercados conside­
rados preferenciais nesta fase, estando já agendada, de
acordo com as intenções manifestada pelas empresas, a
realização de uma missão empresarial à Colômbia,
E
qua­
dor e Panamá, que deverá ocorrer em Março de 2014 e
que envolverá encontros com as respectivas autoridades
ao mais alto nível e também com instituições e empre­
sas locais. Entretanto o bastonário, o vic
presidente da
OF e o presidente do IPDAL, estiveram reunidos com os
membros da comissão coordenadora da iniciativa Pharma
Portugal, Thebar Miranda e Manuela Cabugueira, num en­
contro em que foram analisadas acções visando contribuir
cada vez mais para a implantação da Indústria Farmacêu­
tica portuguesa nos países da América Latina.
Em resultado deste Fórum, a OF e o IPDAL estão a organizar uma missão
empresarial à Colômbia, Equador e Panamá, que envolverá encontros entre
as companhias portuguesas e as autoridades, instituições e empresas locais
tacando, em particular, os seus produtos/serviços e a
sua capacidade competitiva no plano internacional. Na
segunda parte, coube a cada uma das embaixadas pre­
sentes representadas ao mais alto nível, na sua esmaga­
dora maioria, pelos respectivos embaixadores, apresen­
tar a realidade dos países, em particular no que respeita
ao sector da Saúde e às oportunidades de negócio.
No encerramento do Fórum, o presidente da Agência
para o Investimento e Comércio
E
xterno de Portugal
(AIC
E
P), Pedro Reis, mostrou a convicção de que serão
as empresas que representam este
cluster
que, por es­
tarem a lograr conquistas e crescimento em contraciclo
com o resto da economia, irão ajudar o país a dar a volta
à situação em que se encontra actualmente. Para Pedro
Reis, a OF e o IPDAL conseguiram reunir “duas priori­
1...,9,10,11,12,13,14,15,16,17,18 20,21,22,23,24,25,26,27,28,29,...108