A Ordem dos Farmacêuticos (OF) indicou o seu repre­
sentante na Comissão de Farmácia e Terapêutica da Re­
gião Autónoma da Madeira (RAM), criada ao abrigo da
Portaria nº 78/2013, de 30 de Agosto, da Secretaria
Regional dos Assuntos Sociais.
Bruno Olim Ferreira, presidente da Delegação Regional
da OF na RAM, será o representante da Instituição nesta
estrutura responsável pelo acompanhamento, avaliação
e controlo no âmbito da prescrição, dispensa e utilização
de medicamentos no Sistema Regional de Saúde .
Nomeado representante da OF na CFT da
Madeira
Bruno Olim Ferreira é o representante da OF na CFT da Madeira
sistema de saúde, onde se exige qualidade e excelência.
Esta importância é crescente. Com o envelhecimento de­
mográfico e aumento do número de doenças crónicas, a
utilização de medicamentos deverá também continuar a
crescer. Assim, os farmacêuticos enfrentam novos desa­
fios e novas responsabilidades.
Na Região Autónoma da Madeira temos 63 farmácias
que são o garante de uma excelente equidade no aces­
so da população aos medicamentos. A sua distribuição
geográfica caracteriza­se pelo equilíbrio na cobertura far­
macêutica de todo o espaço regional.
A constituição do Serviço Regional de Saúde foi uma das
grandes conquistas desta Região, tendo a sua crescente
cobertura e expansão sido responsável por importantís­
simos ganhos em saúde para todos os madeirenses, ao
longo das últimas décadas.
No entanto, é amplamente reconhecido que, tal como se
passa no Serviço Nacional de Saúde e na maior parte dos
países europeus, ao longo do seu percurso histórico, tem
acumulado falhas de eficácia e de eficiência económica.
Progressivamente, temos dado passos concretos no sen­
tido de alterarmos este caminho, incrementando maior
eficiência na utilização dos recursos disponíveis, pois es­
tamos conscientes que as falhas existentes não se resol­
vem apenas com mais verbas e dotação de meios.
Daqui decorre a necessidade de um sistema de saúde,
universal, que garanta a equidade no acesso aos cuidados
de saúde como condição para a obtenção de ganhos em
saúde.
Os pressupostos aqui referidos têm sido a “Pedra de To­
que” da política de Saúde levada a cabo pelo Governo
Regional da Madeira. Estamos a efectuar acções refor­
mistas no sector da Saúde.
É nossa obrigação fazer mais e melhor com os recursos
disponíveis, evitando desperdícios e optimizando os re­
cursos, de forma a garantir que todos tenham acesso a
cuidados de saúde, a partir de um sistema de saúde sus­
tentável. É nessa senda que estamos a trabalhar na im­
plementação da prescrição electrónica. Já atingimos algu­
mas etapas, designadamente a criação da Plataforma de
Dados da Saúde, esperando que a prescrição electrónica
de medicamentos seja possível no início do próximo ano.
Para melhor assegurar a complementaridade entre o servi­
ço público e o privado e o princípio da liberdade de escolha
do cidadão, ainda hoje assinei uma Portaria que permitirá,
aos utentes que se deslocarem ao serviço de urgência do
Hospital Central do Funchal, a possibilidade de aviarem as
suas receitas nas farmácias de oficina, podendo estas, na
impossibilidade de dispensa de medicamentos em unido­
se, dispensar medicamentos em embalagens de menor
dimensão comercializadas e adequadas ao tratamento
prescrito, observado o direito de opção do utente.
Termino reiterando as maiores felicidades aos novos em­
possados. Em nome do Governo Regional conto, como
até aqui, com o valioso contributo da OF para correspon­
der às múltiplas perspectivas e desafios que se colocam
no sector da Saúde. Conto também com a indispensável
contribuição dos profissionais farmacêuticos para melho­
rar a saúde de todos nós.
Francisco Jardim Ramos realçou o “equilíbrio na cobertura
farmacêutica de todo o espaço regional”
1...,5,6,7,8,9,10,11,12,13,14 16,17,18,19,20,21,22,23,24,25,...108